26 de set de 2013

Dica: livros sobre cozinha natural e vegetariana


Ter bons livros de culinária é o primeiro passo para quem deseja começar a fazer sua própria comida, afinal eles são a grande fonte de inspiração na hora de bolar novos pratos. Eu confesso que raramente sigo uma receita do começo ao fim, mas sempre começo dando uma olhadinha neles. 

Este foi meu primeiro livro de culinária natural/vegetariana. Ganhei do namorido, e veio até autografado!!! Sou super fã da chef Tatiana Cardoso, e considero este como o melhor livro do minha humilde coleção vegetariana.

É dele, por exemplo, a receita de iogurte natural que postei aqui. 




Também da chef gênia Tatiana Cardoso. Esse livro tem uma abordagem um pouco diferente do anterior, mas também é muito bom. Foi dele que partiu a ideia do mingau de aveia com maçã que postei aqui, ou da fritata de espinafre deste post aqui.



Este livro é ótimo para quem quer aprender a cozinhar usando PVT (proteína vegetal texturizada).
Ganhei da mamãe, e sempre recorro a ele quando vou preparar soja.




Eu não era fã de Paul McCartney até ler este livro. Muito bom, com receitas que funcionam de verdade e simples de preparar. O único porém é que às vezes aparecem alguns ingredientes que não são muito comuns por aqui, como ruibarbo por exemplo.





Dona Rose Elliot fez uma grande seleção neste livro. Ele tem dicas ótimas de preparo de leguminosas, legumes e massas fáceis. Só acho que deveria ter mais fotos. 

16 de set de 2013

Receita: legumes orientais






Originalmente, utilizo essa receita de legumes para fazer um yakissoba vegetariano. É bem simples de fazer: depois que os legumes ficarem prontos, basta temperar o macarrão cozido com uma colher de shoyu e misturar aos legumes. Pronto!

Os legumes assim, servidos como acompanhamento para outros pratos também ficam deliciosos. Isso sem falar que essa receita é a minha salvação para momentos em que macarrão parece ser a opção mais fácil, menos trabalhosa e mais apetitosa. A relação custo-tempo-benefício é tudo nessa vida.

Não sei se é frescura minha, mas acho que partir os legumes de qualquer jeito estraga o prato. Então a dica é usar o descascador de alimentos para fatiar a cenoura em fitas, fatiar a acelga em tiras de 2cm, o repolho em fatias finas, a cebola em meia lua e depois em fatias finas... Okay, isso faz uma prato rápido não ser tão rápido assim de preparar. Mas, fazer o quê, sou uma pessoa visual!

Para este prato usei:
- 1 cenoura média fatiada em tiras
- 1/4 de uma cabeça de repolho picado em fatias finas
- 6 folhas de acelga japonesa em fatias de 2 cm de largura
- 1 xícara de champignons fatiados finamente
- 1/2 brócolis ninja separado em talos
- 1 cebola cortada em meia lua e fatiada finamente
- 1/3 de xícara de óleo de canola
- 1/3 de xícara de óleo de gergelim
- shoyu o quanto baste
- gergelim preto para decorar

Passo 1: numa panela wok em fogo alto, coloque o óleo de canola e o de gergelim.

Passo 2: coloque as cebolas e refogue, mexendo com a ajuda de duas colheres de bambu. Tempere com um pouco de shoyu.

Passo 3: adicione o champignon e mexa, sempre em fogo alto.

Passo 4: coloque o repolho, depois a cebola, depois a acelga. Entre cada ingrediente, dê um tempo para que os legumes soltem líquido. Não deixe juntar água na panela, senão os legumes vão cozinhar na água e perder a crocância.





Passo 5: numa panela, cozinhe o brócolis na água, apenas para que fique levemente macio.

Passo 6: continue refogando os legumes na wok, acrescente mais shoyu e, se necessário, mais óleo de gergelim.

Passo 7: adicione o brócolis e misture tudo. Deixe mais 2 minutos no fogo.

Passo 8: desligue o fogo e polvilhe um pouco de gergelim preto.

Passo 9: sirva quente.






11 de set de 2013

Receita: torta de pêra e castanha-do-Pará




Quem me passou essa receita foi minha cunhada Tati, que sempre me dá ótimas dicas. Ela fez um curso de sobremesas com a chef Tatiana Cardoso e essa era uma das delícias ensinadas no curso.

Testei em casa já faz tempo, mas estava esperando a hora certa de postar. Sei lá, talvez porque esta receita exija um pouco mais de preparo do que as outras, achei que o post sobre ela deveria seguir o mesmo conceito.

Abstraiam esta parte, é coisa de gente doida mesmo.

Foco na receita, esta sim vale a pena notar!

Massa
- 1/2 xícara de farinha de trigo branca
- 1/2 xícarade farinha de trigo integral
- 1/4 de xícara de açúcar demerara
- 1/4 de xícara de manteiga clarificada
- 1 colher (chá) raspas de limão
- 1/4 de colher (chá) de sal marinho
- 2 colheres de sopa de linhaça dourada moída
- água mineral o quanto baste para dar liga (colocar aos pouquinhos)

Recheio
- 1 e 1/3 de xícara de castanhas-do-Pará picadas
- 8 pêras portuguesas ou William maduras e firmes
- 1 xícara de creme de leite fresco
- 3 ovos caipiras
- 1 colher (chá) de fermento em pó
- 1/2 colher (chá) de canela em pó
- 1/4 colher (chá) de sal marinho
- 1 colher (chá) essência de baunilha
- 1 colher (sopa) de semente de linhaça
- 1 colher (sopa) de açúcar mascavo

Passo 1 (massa): numa tigela, misture as farinhas de trigo, a linhaça moída, o açúcar, o sal e as raspas de limão .

Passo 2 (massa): acrescente a manteiga e misture com as pontas dos dedos

Passo 3 (massa): adicione a água bem aos poucos e vá amassando até que fique uma massa homogênea e compacta.

Passo 4 (massa): abra com um rolo e forre uma assadeira desmontável (20 cm).




 Passo 5 (recheio): corte as pêras em gomos e disponha sobre a massa.

Passo 6 (recheio): misture o creme de leite ao açúcar e aos demais ingredientes, exceto a linhaça e o açúcar mascavo.

Passo 7 (recheio): despeje na fôrma,sobre as pêras.

Passo 8 (recheio): leve ao forno pré-aquecido a 140 graus, por cerca de 20 minutos, e depois aumente para 150 graus e asse por mais 50 minutos.

Passo 9 (finalização): desenforme a torta fria e polvilhe o açúcar mascavo e as sementes de linhaça (opcional).

Passo 10: deixe na geladeira por 1 dia e sirva fria. 




9 de set de 2013

Receita: molho para guioza de legumes



Eu simplesmente adoro guioza de legumes! Sempre que vou à Liberdade (bairro de imigrantes japoneses, em São Paulo) passo num mercadinho típico japonês e compro guioza e balas de leite.

 Guioza é um bolinho de massa de arroz recheado de legumes - repolho, cenoura, cebola - que pode ser frito ou cozido no vapor. Fica bom dos dois jeitos, mas como até Havaianas frita fica gostoso (não tentem fazer isso em casa!), então decidi por fritá-los. E para acompanhar, vou ensinar a receita de um molho delícia, com ervinhas da minha horta!

Para 6 porções de guioza

- óleo de canola
- 1 colher de sopa de molho shoyu
- 1 colher de sopa de azeite de oliva
- 1 colher de sobremesa de cebolinha fresca
- 2 pitadas de gengibre em pó
-1 colher de sopa de vinagre de vinho branco
- 2 a 3 colheres de sopa de água filtrada


Passo 1: frite os bolinhos em óleo de canola bem quente até que fiquem dourados e reserve num prato coberto com papel toalha.

Passo 2: numa tigela, misture todos os ingredientes, o shoyu, o azeite, o vinagre, o gengibre, a água e a cebolinha. Bata com um garfo e deixe por alguns minutos antes de servir. Sirva os bolinhos quentes, acompanhados do molho num potinho separado.



* Esta receita já havia sido publicada no Brogue da Doida. Vale a pena relembrar!

8 de set de 2013

Receita: bolo de cenoura com cobertura de chocolate


Eu esperei por este dia como um cachorro espera pelo carteiro no portão; como um assalariado espera pelo quinto dia útil do mês; como uma mulher espera sua vez na fila do banheiro...

E finalmente este dia glorioso chegou: o dia em que eu faria um bolo de cenoura que não ficasse embatumado!!!!

OUÇAM A MULTIDÃO VIBRAR

Sim, pela primeira vez na vida acertei a mão e fiz um bolo de cenoura fofinho. Para chegar neste resultado, foram necessárias inúmeras mudanças na receita original de bolo de cenoura de liquidificador. Mas a mudança certeira ocorreu ontem, quando decidi aplicar uma dica que recebi da minha cunhada e colocar o forno a 280 graus ao invés de 180. Et voilá! Finalmente um bolo que não ficou com cara de brownie de cenoura. 

Queria agradecer o apoio dos familiares e mandar um beijo para minhas irmãs, para minha mãe e para o Zé. Esse bolo é em homenagem a vocês.

Para esta receita usei:

- 1 xícara e 3/4 de açúcar demerara triturado
- 2 xícaras de farinha de trigo branca
- 1 colher de sopa de fermento em pó
- 3 cenouras médias descascadas e picadas
- 1/2 xícara de óleo de cozinha
- 1/2 xícara de leite
- 3 ovos
- 1 pitada de sal
- 1/2 lata de creme de leite
- 130 g de chocolate ao leite

Passo 1: misture todos os ingredientes secos e reserve.

Passo 2: no liquidificador, coloque os ovos, o óleo e bata. Vá adicionando as cenouras aos poucos, sempre batendo e por último, coloque o leite.

Passo 3: transfira a massa de cenoura para uma vasilha e incorpore os ingredientes secos aos poucos, mexendo devagar para que a massa forme bolhas de ar.

Passo 4: coloque a massa numa assadeira com furo no meio, untada e enfarinhada.

Passo 5: não é necessário pré-aquecer o forno, basta colocar a massa para assar a 280 graus.

Passo 6: retire quando estiver dourado e com a ajuda de um palito de dentes veja se assou por dentro.







Passo 7: derreta o chocolate num refratário em banho-maria.

Passo 8: acrescente o creme de leite e mexa vigorosamente, até que vire uma creme brilhante.

Passo 9: cubra o bolo com este creme.

Passo 10: sirva o bolo com um cafezinho passado na hora!






6 de set de 2013

Receita: banana ao curry



Eu estava reparando em como sempre misturo frutas com comida salgada: alface com manga, tomates com abacate, arroz com banana da terra...

Tem gente que não gosta desta coisa agridoce (não me refiro à banda, okay?). Como eu não sou uma dessas gentes, misturo mesmo e me esbaldo!

Para essa receitinha rápida usei:

- 2 bananas prata
- molho de mostarda com curry (aqui)
- gergelim preto para decorar

Passo 1: pique as bananas em fatias de 0,5 cm com a faca na diagonal

Passo 2: disponha as bananas num prato, cubra com o molho

Passo 3: salpique o gergelim preto

Passo 4: sirva

Receita: molho de mostarda e curry



Mais um molho à base de mostarda! Só que desta vez, ele tem curry!

Exótico!

Precisei de:

- 1 colher (sopa) de mostarda amarela
- 1 colher (sopa) rasa de maionese
- 1 colher (sopa) de azeite
- 2 colheres (sopa) de água filtrada
- 1 e 1/2 colher (café) de curry

Passo 1: misture todos os ingredientes

Passo 2: sirva com torradinhas, assados ou com esta receita de salada de banana.

3 de set de 2013

Receita: risoto de brócolis



Risoto é sempre uma boa saída quando a gente não tem muita inspiração para cozinhar. Com arroz, cebola e qualquer ingrediente se faz um risoto.
Acho que até com Havaianas velha dá para fazer risoto. Tudo bem que nesse caso ele ficará um pouco indigesto... Mas acho que deu para entender, né?

Para fazer essa receita eu usei:

- 1 maço de brócolis ninja
- 1 cebola pequena picadinha
- 1 inhame triturado
- 2 litros de água
- 1 tablete de caldo de legumes
- azeite
- sal
- 1 xícara de arroz arbóreo (especial para risoto)
- lascas de queijo parmesão

Passo 1: dissolva o caldo de legumes na água e deixe ferver. Desligue e reserve.





Passo 2: corte o brócolis em talos e ferva-os rapidamente na água com caldo de legumes, até que fiquem macios mas firmes. Retire-os da água e guarde a água.

Passo 3: refogue a cebola em 2 colheres de azeite.




Passo 4: adicione o arroz e mexa.

Passo 5: com uma concha vá adicionando a água de legumes aos poucos, mexendo sempre e esperando secar um pouco antes de colocar mais.

Passo 6: adicione o inhame triturado. Esse ingrediente serve para dar cremosidade ao risoto sem usar creme de leite. Fica mais leve e mais nutritivo.

Passo 7: quando o grão de arroz estiver al dente, coloque o brócolis e mexa sempre. Adicione mais água de legumes, mexendo sempre até que o grão de arroz esteja cozido.

Passo 8: sirva quente com lascas de queijo parmesão.




2 de set de 2013

Dica: iogurte (sem lactose) Danubio









Semana passada eu estava no mercado e me bateu uma vontade danada de experimentar algo novo. Como eu estava justamente na parte de iogurtes, o produto escolhido acabou sendo esse potinho da Danubio. Confesso que comprei muito mais pelo potinho do que pela promessa de menos lactose na minha vida.

Chegando em casa, fui logo tratar de saber qual era o gosto do tal iogurte sem lactose. Porque, né, é aquele tipo de coisa que na cabeça da gente não faz sentido. Como assim, leite sem lactose? É tipo Romeu sem Julieta, Piu Piu sem Frajola, Buchecha sem Claudinho...

Daí eu decidi começar pelo de tampa azul, que é sabor natural (mas eu escolhi por causa da cor da tampa). Bom, ele tem gosto de iogurte natural sem açúcar. NENHUM açúcar.
Fiquei pensando que seria interessante usá-lo em pratos salgados, tipo coalhada seca. Deve ficar bom como molho de salada... Só que para comer no potinho, precisa de frutas e mel, senão não tem muita graça. Ou talvez uma calda de frutas vermelhas...

O outro, deixei para comer depois. Na verdade, enquanto escrevo este post estou terminando de comê-lo. O que achei?

Exótico.

Tanta fruta por ai, eles foram escolher justo a Physalis. Um iogurte que já não tem lactose, ainda vem no sabor Physalis, só poderia ser exótico.