31 de jan de 2014

Avenca, nossa nova hóspede!



Há tempos eu olhava para o aparador no canto da sala e sentia que faltava alguma coisa. Apesar dos livros, das velas, das luminárias, enfim, do monte de coisa que já morava nele, eu sentia que faltava um pouco de vida ali. Foi então que trouxemos a Avenca para morar com a gente.

Apesar do nome de modelo russa, a Avenca é, na verdade, uma plantinha que dizem espantar o mau-olhado. Os cuidados com ela se resumem a luz indireta, pouca água e nada de vento forte (ela é bem frágil, e o vento pode quebrá-la).

Ao que tudo indica, ela gostou do aparador: já está dando os primeiros brotinhos!






29 de jan de 2014

Receita: sopa de abóbora com sálvia



O marido ganhou uma abóbora orgânica (sim, a gente ganha uns presentes estranhos). A danada tem uns 5 quilos, e eu fiquei um pouco apreensiva pensando no que eu faria com tanta abóbora. Decidi fazer uma sopinha no jantar, e acho que a combinação de abóbora com sálvia deu muito certo. Uma pena eu não ter mais sálvia fresca, usei a versão desidratada mesmo mas o sabor é um pouco mais amargo.

Ainda tenho um monte de abóbora aqui em kasa, e por isso fui ao mercado tentar descobrir qual era a variedade daquele vegetal exótico que estava na minha cozinha (para facilitar a busca por receitas). Descobri que ela se chama abóbora de pescoço. Bonitinho, né?

Para a sopa usei:

- 400 g de abóbora de pescoço picada e sem casca
- 1 litro de caldo de legumes natural (é a água que sobra do cozimento de diversos legumes, que eu guardo e congelo)
- 1 cebola grande picada
- sal
- pimenta-do-reino
- 1 colher (chá) de sálvia desidratada

Passo 1: coloque o caldo de legumes, a abóbora e a cebola numa panela e leve ao fogo alto.

Passo 2: adicione os temperos e ajuste o sal.

Passo 3: quando a abóbora estiver bem macia, retire do fogo e bata tudo no liquidificador.

Passo 4: volte a sopa para a panela, adicione mais 1/2 xícara de água e ajuste o sal.

Passo 5: cozinhe por mais alguns minutos até que levante fervura.

Passo 6: sirva com crôutons.




28 de jan de 2014

Receita: crumble de peras e framboesas



Há muito tempo venho desejando fazer uma receita de crumble. Tenho pelo menos três, cada uma com um tipo de fruta, mas a que mais me dá água na boca é essa, tirada da revista Jamie número 2 (que aliás, eu não sei por que, deixou de ser publicada com a revista Casa e Comida - uma pena).

Quando finalmente consigo ter macadâmias e framboesas, eis que minhas maçãs acabam. Para variar, tive que adaptar a receita usando peras portuguesas no lugar da maçã. Ninguém notou a diferença, o crumble ficou ótimo e todos foram felizes para sempre.

Dica: o crumble pode ser comido puro, mas ele fica muito melhor acompanhado de uma bola de sorvete de iogurte. ;)

Para esta receita usei:

- 1 pêra portuguesa bem madura
- 150 g de amoras
- sementes trituradas de 3 bagos de cardamomo
- suco de 1/2 limão
- 25 g de manteiga sem sal
- 10 g de farinha branca
- 25 g de farinha integral
- 15 g de aveia em flocos finos
- 25 g de açúcar demerara triturado
- 20 g de macadâmias picadas


Passo 1: descasque a pêra e corte em cubinhos

Passo 2: misture-a com as framboesas, o suco de limão e o cardamomo

Passo 3: numa vasilha, junte as farinhas, a aveia, o açúcar e a manteiga e amasse com os dedos até virar uma farofa.



Passo 4: coloque as frutas em ramequins (rende 6 porções pequenas) e cubra com a farofa

Passo 5: leve ao forno pré-aquecido a 109 graus até que o recheio borbulhe ou que a farofa fique dourada.






27 de jan de 2014

Receita: polenta cremosa com quiabo



Domingo, fila do supermercado. Na minha frente, uma mãe com duas meninas entre 6 e 7 anos. Na esteira do caixa, 5 pacotes de miojo, 1 caixa de bombom Garoto, uns pacotes de salgadinhos e algumas latas de refrigerante. "Almoço de domingo, com sobremesa", pensei ao olhar para as compras da mulher.

Me pergunto se um dia essas meninas terão a chance de comer quiabo. Ou berinjela - outro dia a caixa do supermercado me perguntou "qual era o nome daquilo", referindo-se ao vegetal de casca escura e brilhante.

Regra para a vida número 1: nunca dizer que não gosta de algo que ainda não provou.

Regra para a vida número 2: provar muitas coisas.

Regra para a vida número 3: ensinar as regras 1 e 2 aos meus filhos.


Para essa deliciosa receita usei:

Para o quiabo:
- 1 bandeja (300 g) de quiabo
- 1 cebola picadinha
- 2 tomates italianos picados (daqueles que vêm em lata)
- 1 tablete de caldo de legumes
- 1 dente de alho picado
- 1/2 xícara de água


Passo 1: pique o quiabo em rodelas.

Passo 2: refogue a cebola com um fio de óleo de canola. Quando ela estiver transparente, coloque o alho e refogue mais um pouco.

Passo 3: adicione o quiabo e mexa bem. Refogue por ceca de 3 minutos.

Passo 4: coloque o tomate, mexendo constantemente por mais 2 minutos.

Passo 5: coloque o caldo de legumes picado e a água. Mexa e deixe cozinhar.

Passo 6: desligue o fogo quando o quiabo estiver macio.


Para a polenta
- 1 xícara de fubá
- 4 xícaras de caldo de legumes natural (a água que sobra dos legumes cozidos, eu congelo e uso em utras receitas)
-  sal
- 1 colher (chá) de açafrão
- 2 colheres (sopa) de creme de leite de soja (ou creme de leite fresco)

Passo 1: coloque todos os ingredientes numa panela (exceto o creme de leite) e leve ao fogo médio, mexendo sempre.

Passo 2: quando engrossar, acrescente o creme de leite e mexa vigorosamente.

Passo 3: transfira para um refratário e sirva com o quiabo.


24 de jan de 2014

Receita: 2 receitas com queijo cottage (para dias de preguiça)



Às vezes bate uma preguiça danada de cozinhar, especialmente no calor senegalês que tem feito em São Paulo. Porque, né, num dia lindo de sol e com tanta coisa mais interessante para fazer assistir Game of Thrones, ficar assando a barriga no fogão simplesmente não rola.

Daí, como a gente tem que comer direitinho no horário para evitar a jacada mais tarde, eu acabo inventando umas receitas mirabolantes à base de queijo cottage. Por que queijo cottage? Porque eu adoooro (ele chega a competir com o meu amor eterno por queijo de cabra; só não ganha porque é mais barato, logo, eu como muito mais frequentemente, logo, quando eu posso comer queijo de cabra eu fico assim, jurando amor eterno - até que gente se separe novamente).

Coloquei aqui duas receitas, pois elas levam basicamente o mesmo recheio: queijo cottage com cebolinha.
Preparar o recheio é moleza, precisei apenas de:

- queijo cottage
- cebolinhas frescas picadas

Passo 1: num processador, bata 2 colheres de sopa de cottage para 1 colher de sopa de cebolinha.

Para a omelete eu usei:
- 2 ovos
- 1/3 de xícara de leite desnatado
- sal
- manteiga ou margarina para fritar

Passo 1: bata todos os ingredientes (menos a manteiga) com um garfo

Passo 2: derreta a manteiga na frigideira e despeje o ovo batido. Frite os dois lados

Passo 3: coloque a omelete num prato e o recheio de cottage no meio, fazendo um saduíche

Passo 4: sirva com salada




Para os wraps, comprei a massa pronta, mas nada impede  exceto a preguiça  de usar massa caseira. Ralei uma cenoura crua, cortei algumas folhas de alface americana bem fininho e pronto, é só montar o lanche.




Dica: iogurte Naturis (sem lactose)


Se você anda evitando lactose por motivos de:

a) Quero chegar aos 40 igual a Angélica;

b) Sou vegano

c) Sou alérgico

d) todas as alternativas estão corretas

Então você vai gostar desta dica: encontrei um "iogurte" de soja que enganou a minha fome direitinho. Na verdade, a descrição correta seria "alimento de soja sabor pêssego", porque né, se não tem leite não é iogurte. Mas não vou me apegar aos detalhes, ok?

O que importa é que para quem não consome lactose, essa pode ser uma boa alternativa. Achei um pouco doce demais, e o sabor lembra o de Ades. Mas é gostosinho.

Para quem ficou curioso,  seguem os ingredientes: água, açúcar, pedaços de pêssego, extrato e soja, amido modificado, fosfato tricálcico, fermentos, aromatizantes, corante natural urucum e conservante sorbato de potássio.

A carinha até que é boa, né?





22 de jan de 2014

Receita: muffins integrais de banana-da-terra com mirtilos




Esta época do ano é a melhor para comprar frutas vermelhas; elas já não estão tão caras quanto no Natal e os mercados ainda têm muitas em estoque, o que leva alguns a baixar os preços. Passeando pelo hortifruti, encontrei caixinhas de mirtilos pela metade do preço (tá certo que não é a coisa mais barata do mundo, mas hey, estou comparando com os preços de Natal!) e não resisti: peguei duas.

Eu tinha essa imagem na minha cabeça, muffins fofinhos com pequenos pontos roxos, mas não lembrava exatamente onde tinha visto a receita. Quando cheguei em casa, folheando os livros de receitas, descobri que se tratava de uma foto de muffins de frutas vermelhas do livro Segunda Sem Carne. Só que o danando levava 200 g de manteiga e 200 ml de iogurte natural! O primeiro eu não estava afim de usar (muita gordura, e eu estou tentando me manter magra); o segundo eu não tinha na geladeira (e havia acabado de voltar do mercado, não voltaria lá só pra isso). A solução foi procurar por uma receita de muffins de mirtilo mais prática, a qual acabei encontrando num blog que eu adoro: o Technicolor Kitchen.

Peguei a receita original e fiz algumas adaptações, pois eu só tinha banana-da-terra em casa e queria fazer uma massa integral ao invés de usar farinha branca pura (projeto #fiquemagraSusana! #aquemeuqueroenganar? #sonharétãobom). O resultado me surpreendeu, pois a massa ficou super leve, macia e fofinha, a banana da terra cumpriu sua missão de me ajudar a reduzir o açúcar da receita e os mirtilos, com sua linda cor e seu sabor azedinho, complementaram a doçura da banana perfeitamente.

Vou parar com o trolo-lo-lo, e mostrar o passo-a-passo. Para os muffins eu usei:

- 100 g de farinha branca
- 125 g de farinha integral
- 1 e 1/2 colher (chá) de fermento em pó
- 1/2 colher (chá) de bicarbonato de sódio
- 1 colher rasa (café) de canela em pó
- 1 pitada de sal
- 85 g de açúcar demerara
- 1 banana-da-terra grande
- 80 ml de óleo de canola
- 160 ml de leite desnatado
- 1 ovo orgânico
- 1 colher chá de extrato de baunilha
- 300 g de mirtilos frescos



Passo 1: cozinhe a banana no vapor e depois faça um purê, amassando-a com um garfo

Passo 2: peneire a farinha, o fermento, o bicarbonato de sódio, a canela e o sal em uma tigela grande.

Passo 3: triture o açúcar demerara e junte aos ingredientes secos.

Passo 4: Em um tigela, bata com um garfo a banana amassada, o óleo, o leite, o ovo e a baunilha. Despeje essa mistura sobre os ingredientes secos e misture tudo usando um garfo.



Passo 5: Lave os mirtilos e polvilhe um pouco de farinha de trigo sobre eles. Em seguida, incorpore-os à massa de banana mexendo suavemente.

Passo 6: Coloque a massa nas forminhas, com cuidado para preencher apenas 3/4 de cada forminha.

Passo 7: Leve ao forno pré-aquecido a 200 graus por exatos 20 minutos.



21 de jan de 2014

Receita: batata doce picante



Quando eu era criança, morava numa casa com lareira e no inverno minha mãe colocava umas batatas doces para assar no fogo, envoltas em papel alumínio. Tenho boas lembranças relacionadas a este singelo tubérculo e agora que ele está na moda, fiquei com vontade de experimentar algumas receitas com ele.

Apesar de ser bem adocicada, a batata ficou muito saborosa com cebolas e páprica doce. Usei a doce porque não tinha páprica picante em casa; coloquei pimenta-do-reino para dar uma ardência suave.

Para fazer as batatas usei:

- 300 g de batas doces descascadas e picadas em pedaços grandes
- 1 cebola cortada em pedaços grandes
- 1 colher de café de coentro em pó
- 1 colher de chá de páprica doce
- 1 colher de café de pimenta-do-reino moída
- 1 colher de chá de sal marinho
- 1 colher de chá de alecrim desidratado
- azeite de oliva

Passo 1: junte as cebolas e as batatas numa  vasilha

Passo 2: despeje uma colher de sopa de azeite de oliva e misture bem com as batatas e cebolas, até que fiquem cobertas pelo azeite

Passo 3: num potinho, coloque todos os temperos em pó e misture bem

Passo 4: polvilhe o tempero sobre as batatas e misture-as bem



Passo 5 : coloque tudo num refratário

Passo 5: polvilhe o alecrim sobre as batatas temperadas

Passo 6: cubra o refratário com papel alumínio e leve ao forno pré-aquecido a 200 graus, por cerca de 30 minutos.










15 de jan de 2014

Dica: Desapegando



Quando eu e o marido decidimos morar juntos, fui tomada por uma ansiedade louca que me levou a sair em busca de móveis para a nova casa como se não houvesse amanhã. O resultado disso foi uma sala que nunca conseguiu manter as pessoas confortavelmente sentadas por mais de 5 minutos e uma clara percepção de que meu forte não é decoração.

Ficamos assim desde então, recebendo os amigos na cozinha, até que descobri o maravilhoso mundo dos sites de classificados e venda de produtos usados. Sites deste tipo para vender carros e casas são bem comuns, mas de uns tempos para cá começaram a surgir várias opções para venda de móveis, roupas e objetos de decoração.

Eu comecei a onda de desapego vendendo roupas e sapatos no Enjoei, que é uma espécie de brechó virtual. A especialidade deles é venda de roupas, mas lá tem de tudo para meninos e meninas. Apesar de cobrarem uma taxa de publicação + 20% do valor do produto, acaba valendo a pena pela ampla exposição e pelo público descolado que consome no site. Eu consegui vender um monte de roupas e sapatos que estavam naquele limbo que a gente cria para as peças que a gente nunca vai usar mas estão boas demais para serem doadas. Agora eu só compro coisas novas depois de vender as antigas!




Já para a venda de coisas mais caras, como mobília, eu prefiro sites de classificados como OLX ou Bomnegócio.com.  Neles, o anunciante não tem nenhum vínculo com o site, e os anúncios não são cobrados. Toda a negociação é feita entre comprador e vendedor, e o site apenas publica o conteúdo. Atualmente os dois anunciam na televisão e por isso estão bombando, o que é ótimo para quem vai vender, pois é sinônimo de mais exposição do seu produto. É claro que eles também possuem anúncios patrocinados e de empresas, mas é possível encontrar boas ofertas em ambos (para quem está pensando em redecorar gastando pouco é uma ótimo opção).

Assim que conseguir vender meus móveis, vou começar a procurar um tapete e uma poltrona para tornar minha sala mais aconchegante. Só que desta vez, sem ansiedade.


14 de jan de 2014

Receita: sopa detox (dieta dos 7 dias)



Ano passado eu estava trabalhando e estudando muito, e na correria do dia-a-dia, acabava comendo um monte de besteiras. É engraçado como eu sempre engordo quando volto a trabalhar; sempre tinha um pacote de bolachas recheadas na gaveta ou um chocolate na bolsa para atacar por volta das 16 horas... Quando saí do trabalho no final do ano, trouxe comigo pelo menos 2 kg a mais.

Como estou numa fase de jogar fora tudo o que é desnecessário, a receita desta dieta veio a calhar. Afinal, o que pode ser mais desnecessário do quilos a mais na balança?

A primeira pessoa que me falou sobre esta receita foi uma colega de trabalho, que fez a dieta por quase um mês a fim de perder peso para seu casamento. Ao que tudo indica, o resultado foi fantástico e ela eliminou quase 12 quilos. Wow! Depois, pesquisando na internet, descobri que a receita original havia sido desenvolvida para pacientes com problemas cardíacos, que precisavam perder muito peso em pouco tempo. De Ana Maria Braga a Adriane Galisteu, todas já haviam feito a tal sopa e aprovado os resultados.

Me pareceu uma receita segura, não uma dessas dietas malucas que fazem a pessoa tomar vinagre durante um mês ou jejuar por tempo indeterminado. Resolvi testar, e ainda convenci o marido a me acompanhar (ele adorou a ideia de fazer um detox).

Fizemos o passo-a-passo direitinho por uma semana e posso dizer que deu resultados BEM satisfatórios. É claro que para uma pessoa que tem hábitos completamente desregulados o processo deve ser bem mais impactante do que foi para mim e para o marido. Em termos de perda de peso, o marido teve resultados mais visíveis, pois ele desinchou completamente. Eu perdi cerca de 1 kg, mas minha pele e cabelos ficaram com uma aparência mais saudável e viçosa.

Outro ponto super positivo foi que essa dieta me forçou a comer muita fruta todos os dias, coisa que eu sempre tive preguiça de fazer. Eu gosto de frutas, mas se tiver que escolher entre um bolo ou um pedaço de mamão, com certeza escolho o primeiro, então foi uma mudança de hábito muito significante.

Como falei anteriormente, este é apenas um detox, ou seja, não é uma dieta a longo prazo. Se a minha intenção fosse mudar radicalmente meus hábitos alimentares, eu procuraria uma nutricionista antes de tudo.
Mas acho que valeu a pena, e faria novamente. Sem contar que a sopa fica uma delícia, e o fato de não ter que pensar em variar o cardápio durante 7 dias tornou a minha vida mais simples.

Depois de tanto blá, deixo a receita e o passo-a-passo (desculpem pelo post enorme!).



Ingredientes:

- 1 berinjela
- 1 nabo
- 1 maço de cebolinha
- 1 lata de tomate italiano sem pele
- 2 latas de molho de tomate temperado
- 1 maço e salsão (com as folhas)
- 1 repolho roxo pequeno
- 1 cebola grande
- 3 cenouras
- 2 xícaras de vagem
- 1/2 maço de salsinha
- sal
- 1 colher (café) de curry
- 1 colher (café) de cominho em pó
- 1 e 1/2 tablete de caldo de legumes
- 4 litros de água
* Uma panela bem grande

Passo 1: lave bem e pique todos os ingredientes em pedaços pequenos.

Passo 2: coloque tudo na panela e cozinhe até que os legumes fiquem macios.

Passo 3: mantenha a sopa na geladeira, e vá consumindo ao longo da semana. Esta receita é suficiente para uma pessoa durante 7 dias.

Passo-a-passo para os 7 dias:

Dia 1
Café da manhã: frutas (exceto banana)
Almoço: sopa
Lanche: frutas (exceto banana)
Jantar: sopa
Lanche: frutas (exceto banana)

Dia 2
Café da manhã: frutas (exceto banana)
Almoço: sopa
Lanche: frutas (exceto banana)
Jantar: sopa + 1 batata grande cozida com um pouco de manteiga
Lanche: frutas (exceto banana)

Dia 3
Café da manhã: frutas (exceto banana)
Almoço: sopa
Lanche: frutas (exceto banana)
Jantar: sopa + legumes cozidos
Lanche: frutas (exceto banana)

Dia 4
Café da manhã: 1 copo de leite desnatado+ 3 bananas (fazer vitamina)
Almoço: sopa
Lanche: frutas (ou 2 bananas)
Jantar: sopa
Lanche: frutas (ou 2 bananas)

Dia 5
Café da manhã: frutas (exceto banana)
Almoço: sopa + carne magra grelhada* + salada de tomates
*Neste dia é permitido até 400 g de carne
Lanche: frutas (exceto banana)
Jantar: sopa
Lanche: frutas (exceto banana)

Dia 6
Café da manhã: frutas (exceto banana)
Almoço: sopa + carne magra grelhada* + salada de tomates
*Neste dia é permitido até 400 g de carne magra
Lanche: frutas (exceto banana)
Jantar: sopa
Lanche: frutas (exceto banana)

Dia 7
Café da manhã: frutas (exceto banana)
Almoço: sopa + arroz integral + suco de frutas
Lanche: frutas (exceto banana)
Jantar: sopa
Lanche: frutas (exceto banana)